Domingo, 26 de Março de 2006

11 anos... o desabafo de uma mágoa.

Faz hoje precisamente 11 anos que começou aquela que viria a ser a minha maior história de amor. Ao contrário do que seria de esperar, hoje não me senti nostálgica nem melancólica... apenas vazia de sentimentos. Nem mesmo o facto de imaginar que possas não te ter lembrado deste dia me fez sofrer. Neste momento não consigo sentir nada. Já sofri tudo o que tinha a sofrer e chorei tudo o que tinha a chorar há algumas semanas... Sim, semanas... isto é cíclico e de tempos a tempos penso em ti. Não me envergonho de o dizer. Afinal de contas já sou bastante crescidinha para assumir o que sinto e o que penso... e tu sabes bem como eu sou, sempre a insistir em lembrar-me do que lá vai. É um erro, bem sei, mas não consigo evitar. Esta fase de introspecção e saudades é de tal forma recente que me deixou vazia de qualquer tipo de mágoa que pudesse sentir hoje. Mas é cíclico, acredita. Confesso que sonhei contigo duas ou três vezes e foi isso que despoletou esta fase. Os sonhos não foram nada de transcendente. Situações bastante banais. Nada de aflitivo, constrangedor ou encorajador. Passei esses dias de forma bastante estranha e a pensar imenso em ti. Mas não em ti como és hoje e sim naquele a quem dediquei quase 10 anos da minha vida. E pensei em ti com saudades. Saudades do que vivi contigo e do sentimento que um dia nos uniu... para sempre, dizíamos nós... “para sempre” não existe e cada vez mais me apercebo disso. Também sonhei com a tua mãe e as tuas sobrinhas. Não é novidade nenhuma que eram as pessoas de tua casa de quem eu mais gostava. Gostava mesmo! Não estou a falar por falar. Cada vez que penso nas miúdas, os meu olhos enchem-se de lágrimas. Eu sei bem até que ponto elas gostavam de mim e magoa-me bastante imaginar o que elas possam pensar de mim neste momento. No meio de toda esta história insana que foi o nosso final, já me passam completamente ao lado todas as opiniões negativas a meu respeito, independentemente de quem profira... mas o que elas pensam de mim neste momento tem mais valor e importância para mim do que aquela que possas sequer imaginar.

Quase 10 anos... uma vida!

Sabes, sempre que chega o mês de Março sei que o tempo vai começar a aquecer, porque me lembro de naquele dia levar a minha t-shirt do Mickey e da Minnie (tão fashion... eheheh)... as minhas calças de ganga de cor cru e as minhas botas novas... e as minhas lentes de contacto a estrear. Lembraste? Talvez não, afinal já lá vão 11 anos.

Um dia disseste que o lugar que ocupava no teu coração seria para sempre meu. Não irias querer mais ninguém na tua vida. É caricato lembrar isto agora... Refizeste a tua vida com todas as forças que conseguiste reunir... fizeste o que devias ter feito... hoje sou eu que me recuso a querer abrir o coração para mais alguém. Sinto-me bem assim. Sinto-me livre, dona do meu nariz para agir como bem me aprouver, sem me preocupar com opiniões de quem não me conhece. Sou livre de mente e coração e assim quero continuar. Acima de tudo, sinto-me bem comigo mesma por saber que não farei mais ninguém sofrer por ser como sou. Só isso já bastaria para eu não querer mais ninguém na minha vida... mas há um motivo ainda mais forte. Não me sinto ainda preparada para abrir novamente o meu coração por inteiro. Definitivamente ainda não me sinto preparada para amar.

A vida dá tantas voltas... eu nem sempre entendo.

...incoerências.

Danni

==========================================================
O texto que publicarei de seguida já foi escrito há algum tempo. Precisamente no inicio de toda esta introspecção.
O meu amigo Sérgio andava emocionalmente abalado e confuso, às voltas com um passado que teimou em mostrar-se presente só para fazer ruir um pouco mais aquele coração, já tão sofrido. Toda a fachada de força aparente ruiu perante resquícios do passado, ao encontrar velhas cartas e fotografias. Lembrei-me de mim mesma e de como ruí por dentro ao ler velhas cartas... e tinha tantas para ler! Se há alguém a quem não conseguimos enganar, é a nós próprios. Um velho baú de memórias a que pensamos sempre ser imunes, até sermos confrontados com ele completamente escancarado à nossa frente, convidando-nos a uma viagem ao fundo de nós mesmos e do que sentimos. Foi doloroso. Já lá vai um ano desde que isso aconteceu. Até hoje não voltei a ler uma única dessas memórias.
==========================================================

Lágrimas

Chorar...
A dor, a mágoa, a raiva, as saudades.

Chorar o amor...
Um amor único, que perdurará para sempre.

E perguntar mil vezes “Porquê?”

Remexer no passado e abrir portas às lembranças. Fragmentos do que foi a minha vida e de tudo o que me preencheu como pessoa...
... Fragmentos de mim.

Ler velhas cartas e chorar como uma criança, por todas as memórias que carregam... porque me fazem reviver o que um dia foi a minha realidade e julguei ser também o meu futuro.

Inesperadamente sentir o teu cheiro e lembrar-me de ti e sentir uma angústia que não sei explicar, para logo de seguida ser invadida por lembranças

Não é a vontade de te ter a meu lado novamente que motiva e dá sentido às minhas palavras... porque ficaste comigo num passado muito longínquo e é lá que somos muito felizes e assim seremos para sempre... porque não foi a ti que tive na minha vida, nem foi a ti que dediquei tanto de mim...
... Não foi a ti que eu tanto amei!


07-02-2006
06:45h
publicado por Danni às 20:39
link do post | Vá, diz qualquer coisinha! | favorito
4 comentários:
De sancha a 30 de Março de 2006 às 16:06
Olá, só quero deixar a mensagem: não tem de acabar tudo porque acaba o casamento, porque não visitar as crianças de quem tanto gostas e elas de ti? O casamento não deu certo, mas a amizade que ficou pode dar! è preciso quebrar preconceitos e seguir o coração, afinal ele é sábio!! Beijinhos
De inconfidente a 28 de Março de 2006 às 17:03
Lindinha, não te sentes preparada para amar pq ainda não apareceu aquela paixão arrebatadora que te vai deixar de rastos...vai com calma.
Beijocas
De fernando a 28 de Março de 2006 às 14:28
Pois, pois, pois... Muito do que disses-te coincide com vários momentos da minha vida, por isso não estás nem estarás nunca sózinha com esse tipo de mágoas. Também tenho montes de cartas no meu "Baú" que nem kero recordar. Pelo menos agora... Tenho esperança que um dia o sol há-de brilhar para pessoas como nós!...
De Loba das Estepes a 28 de Março de 2006 às 00:11
Calma. O que não falta são biofes!
E minha cara sócia... estou a arranjar atractivos para fazer desta associação a melhor do país!! Aquela que luta pelas mulheres, pelo interesse das mulheres, de preferência SIMAESES!!!!!
Ehehe eu estou a tratar de tudo!!!!!

Vá, diz qualquer coisinha!

:.Queres falar com a gaja?

danni_mrls@hotmail.com

:.Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
29
30
31

:.Afinal quem é a gaja?

:.Últimos devaneios

:. Último episódio

:. Just think about it!

:. Portugal 3 - Hungria 0

:. Um abracinho

:. A euromilhas de distância

:. Dia de S. Nunca

:. A pedido de...

:. O fiel jardineiro

:. Pau que nasce torto...

:. There's no need to argue....

:.Já lá vai o tempo

:.tags

:. todas as tags

:.Outros vôos por onde me perco

:.Rapidinhas


:.De que andas à procura?